Campanha “Aço salva vidas” estimula doações para instituições sociais

Iniciativa da ArcelorMittal e Belgo Bekaert destina-se ao combate à fome na pandemia 

A ArcelorMittal, que desde o início da pandemia uniu-se aos esforços da sociedade no combate à Covid-19 e na implementação de ações para amenizar os impactos da crise, está ampliando suas iniciativas. Por meio da Fundação ArcelorMittal, a produtora de aço e a Belgo Bekaert lançam mais uma edição da campanha “Aço salva vidas”. A ação agora é voltada para o auxílio de instituições sociais no combate à fome no Brasil, por meio da doação de recursos por colaboradores e seus familiares, bem como a rede de fornecedores, clientes, parceiros, e é aberta também a toda comunidade. 

A dinâmica da campanha prevê que, a cada R$ 1 arrecadado, as empresas doarão mais R$ 1 até o teto de R$ 1,2 milhão. A expectativa é destinar um total de R$ 2,4 milhões à instituição G10 Favelas e a organizações dos municípios nos quais a ArcelorMittal está inserida. A iniciativa terá duração inicial de dois meses ou até que o objetivo de arrecadação seja atingido. As contribuições poderão ser efetuadas por meio do portal de doações www.fundacaoarcelormittal.org.br/doacao. Nesse ambiente, os interessados poderão escolher quais instituições desejam beneficiar e o valor a ser destinado para cada uma, com emissão de boleto para pagamento do valor total.

Herik Marques, Diretor-Superintendente da Fundação ArcelorMittal, acredita que o momento exige que todos os setores da sociedade se unam e que cada agente ofereça o que tem de maior potencial. “Nós entendemos que, além dos investimentos que temos feito desde o início da pandemia, podemos ser uma ponte entre quem tem condições de doar – influenciando pessoas, parceiros e outras empresas – e instituições que já fazem um trabalho essencial e precisam que essa rede de apoio se fortaleça”, explica.

Para Gilson Rodrigues, fundador do G10 Favelas, a ação é muito importante “porque visa ajudar no combate à fome e à má nutrição neste período crítico no Brasil, inspirando empresas e pessoas a contribuir. Se cada um ajudar um pouquinho, vamos conseguir manter os trabalhos das marmitas, das cestas básicas e ajudar quem precisa agora”. O bloco de líderes, composto por lideranças e empreendedores de impacto social, criou recentemente 12 iniciativas para diminuir as consequências da pandemia nas comunidades em que atua.

Uma delas é o Bistrô Mãos de Maria, que produz e distribui marmitas diariamente para pessoas que perderam seus empregos e não têm o que comer. As iniciativas estão presentes nas comunidades de Heliópolis (São Paulo), Complexo do Alemão e Rocinha (Rio de Janeiro), Aglomerado da Serra (BH), Coroadinho (São Luís), Baixada do Jurunas (Belém), Casa Amarela (Recife) e Sol Nascente (Ceilândia).

Esforço conjunto - Até o momento, o grupo ArcelorMittal participou com cerca de R$ 13 milhões em uma série de iniciativas externas para o enfrentamento da pandemia nas comunidades. Em 2020, o foco foi, principalmente, disponibilizar itens que ajudassem no enfrentamento à disseminação do vírus, como EPIs e material de higiene, e no atendimento às pessoas acometidas pela doença. Este ano, com o agravamento da pandemia, a queda expressiva nas doações em todo o país, o aumento do desemprego e a suspensão de auxílios financeiros, o foco passou a ser o combate à fome.

A primeira campanha, realizada no ano passado via Fundação ArcelorMittal, arrecadou R$ 2,4 milhões para 45 entidades sociais de 11 estados e do Distrito Federal. Nos mesmos moldes da “Aço salva vidas”, a ação beneficiou mais de 690 mil pessoas por meio de doações de cerca de 600 mil máscaras, 14 mil luvas e 2,7 mil litros de álcool gel, além de colchões, camas, produtos de higiene e limpeza.