Recursos

4. Uso eficiente dos recursos e altos índices de reciclagem

Em resposta à redução de recursos, o mundo está passando de um modelo de consumo 'extrair-fabricar-descartar' (take-make-dispose) para uma abordagem mais circular, na qual o mínimo possível é descartado e o máximo possível é reutilizado. A reciclabilidade do aço dá a ele uma vantagem inerente, mas existem desafios comerciais e técnicos a serem superados se quisermos liderar nesta área.

Por que isto é importante para nós?

Todos os aspectos de como os recursos são usados estão sendo questionados. Desde a fabricação até o design do produto e como os bens e serviços se tornam 'propriedade' de alguém. Especialistas mundiais preveem uma nova forma de economia, na qual tudo é reciclado ou reutilizado e não haverá desperdício de nenhuma matéria-prima ou recurso energético.

Então, quando falamos de eficiência é no sentido mais amplo do termo. Temos uma responsabilidade social, ambiental e comercial de usar recursos de maneira eficiente, reduzindo nossos impactos e nossos custos de matéria-prima. No mundo de hoje, a expectativa é de que a indústria reduza a zero seus aterros. Pretendemos assegurar que os recursos que utilizamos sejam aplicados da melhor maneira possível, aproveitando os processos de fabricação do aço para gerar ou reutilizar o máximo de subprodutos que pudermos.

Nosso desafio

Recursos

Embora o aço seja infinitamente reciclável e sua taxa média mundial de reciclagem seja de 87%, nosso desafio é aumentar a oferta de sucata. Hoje, a demanda global de aço é três vezes maior do que a oferta global de sucata. A pesquisa nos diz que só no final do século é que a quantidade de sucata disponível no mundo permitirá que a maioria dos novos aços seja fabricada a partir dos velhos. Até lá, o minério de ferro continuará sendo a principal matéria-prima utilizada na produção de aço.

Outro desafio é o fato da sucata de aço conter impurezas, principalmente cobre. Isso significa que a sucata é mais adequada para a fabricação de aço para construção, que pode conter essas impurezas, e menos adequada para os aços de mais alta qualidade, usados nos setores automotivo e de eletrodomésticos. Portanto, isso ainda não é um problema. Mas, quando a demanda de aço se igualar à oferta de sucata, teremos que resolver essa questão.

O próximo desafio é fazer uso de nossos subprodutos - escória, lama, poeira, gases de processo, calor e vapor. Para cada tonelada de aço que fabricamos, produzimos também 0,6 tonelada de resíduos. Encontramos mercados para muitos desses subprodutos e também reciclamos nossos gases de processo, mas ainda não encontramos uso para todos eles e precisamos trabalhar mais nisso.

Nossa ação

Recursos

Precisamos continuar a desenvolver nossos processos de produção para termos um uso mais eficiente dos recursos. Em termos de sucata, isso significa trabalhar mais com os stakeholders no sentido de aumentar as taxas de reciclagem em todo o mundo até que nenhum aço chegue aos aterros. Isso também significa trabalhar com a indústria siderúrgica para desenvolver maneiras econômicas de livrar a sucata de todas as impurezas.

Quanto aos nossos resíduos, vamos tornar nossos processos ainda mais eficientes e reduzir a quantidade de resíduos que produzimos. É necessário aumentar nossa taxa interna de reciclagem e, nos casos em que nós mesmos não pudermos usar os resíduos, desenvolver mais mercados para usar nossos subprodutos. Há muito a ser feito para que possamos ter zero resíduo em aterros.

Nosso potencial de criação de valor

Recursos

As usinas siderúrgicas também são plantas de reciclagem, pois a sucata é um insumo importante no processo de fabricação de aço. Isso nos torna um dos maiores recicladores do mundo. Nosso histórico de reutilização de subprodutos, junto com outras indústrias e organizações, nos tornou um valioso parceiro. Vemos oportunidades nos modelos de negócios que emergem a partir de nossos programas de inovação, que são inspirados pelo pensamento de uma economia mais circular. Em vez de simplesmente vender nossa escória para a indústria de cimento, por exemplo, agora temos uma joint venture com a Ecocem e produzimos um substituto de cimento em duas de nossas siderúrgicas. Temos pilotos industriais para transformar nossos gases residuais em produtos para outras indústrias – criando potencial para novos fluxos de receita.

Também estamos analisando o potencial de usar resíduos de outras indústrias em nossa produção de aço. Estamos desenvolvendo inovações que poderão gerar profundas implicações positivas em como criamos valor.

Expectativas de nossos stakeholders

Precisamos avançar na 'eficiência de recursos' e trabalhar para alcançar uma atuação centrada em 'pensamento circular'.

O contexto regulatório em todo o mundo está se tornando cada vez mais exigente. Para ajudar a melhorar a eficiência dos recursos e reduzir o desperdício, muitos países já impõem metas e penalidades para o uso de aterros. Os governos e os consumidores também esperam que as empresas se responsabilizem mais por seus produtos depois de vendê-los, reconhecendo os seus impactos de sustentabilidade nas fases de transporte, uso e fim de vida. Setores, como o de construção, ainda geram grandes quantidades de resíduos. Nossos clientes nessa indústria estão avaliando como evitar isso. Acreditamos que o aço proporciona um caminho óbvio.

Especialistas mundiais concordam que a reciclagem tradicional sozinha não é mais suficiente. É chegada a hora de pensar na economia circular. Mesmo que as taxas de reciclagem de aço chegassem a 100%, o mundo ainda precisaria de mais aço do que existe atualmente. Acadêmicos, como o Dr. Julian Allwood, da Universidade de Cambridge, indicam a necessidade de projetar produtos que usem menos materiais, sejam produzidos de maneira mais eficiente, durem mais e possam ser reutilizados, ao invés de apenas reciclados. Espera-se também uma maior colaboração entre os setores: os resíduos de um setor podem se tornar matéria-prima para outro, criando assim uma simbiose industrial.

O resultado que precisamos

Usamos matérias-primas e insumos reciclados da maneira mais eficiente para podermos criar valor significativo para nossos clientes e acionistas, além de contribuirmos para os objetivos de uma economia circular.

Atendendo a essa diretriz

Usar matérias-primas de maneira eficiente já é fundamental para o sucesso de nossos negócios. Estimular o papel do aço em uma economia circular de baixo carbono é um objetivo central de nossa estratégia de desenvolvimento sustentável. Isso significa trabalhar para alcançar zero resíduo em aterros, gerar menos resíduos de produção, transformando-os em subprodutos valiosos por si só, usar resíduos de outras indústrias em vez de matérias-primas virgens e melhorar o acesso à sucata de aço de qualidade para reciclagem. Estamos também desenvolvendo produtos que podem ser reutilizados em vez de simplesmente reciclados. Com nossas unidades de negócios, estamos analisando como mitigar os riscos que poderiam resultar da transição para uma economia circular e como criar valor a partir das oportunidades que ela apresenta. Isso vai incluir colaborar com fornecedores e clientes para desenvolver novas abordagens no fornecimento de matérias-primas, além de explorar o potencial de modelos alternativos de negócios.